SURPRESAS E BARBADAS

A disputa para governador será decidida no segundo turno em 12 estados — casos de São Paulo, Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Sul. Em outras 14 unidades da federação, porém, a eleição foi definida já neste domingo (2/10) — Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal estão nessa lista.

A apuração dos votos teve algumas surpresas, como a virada de Tarcisio de Freitas (Republicanos) em São Paulo. Em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto até a véspera do pleito, o bolsonarista obteve 42,38% dos votos válidos, contra 35,63 de Fernando Haddad (PT), com quem disputará o segundo turno, colocando fim à hegemonia tucana no estado.

Outro que até este sábado (1º/10) aparecia na vice-liderança das pesquisas, o candidato Jerônimo Rodrigues (PT) também surpreendeu e obteve o primeiro lugar na Bahia; agora, vai à próxima rodada como favorito, com 48,9%, contra 41,2% do segundo colocado, ACM Neto. No Rio Grande do Sul, Onyx Lorenzoni (PL), com 37,50%, chegou na frente e enfrentará Eduardo Leite (PSDB), com 26,81%.

Nos outros nove estados que voltarão às urnas no próximo dia 30, Pernambuco terá disputa entre Marília Arraes (Solidariedade), com 23,84%, e Raquel Lyra (PSDB), com 20,81%; no Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), com 46,94%, enfrentará Manato (PL), com 38,48%; Em Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), que obteve 38,62%, terá pela frente o petista Décio Lima, com 17,40%.

Já Alagoas terá segundo turno entre Paulo Dantas (MDB) e Rodrigo Cunha (União Brasil); em Mato Grosso do Sul, Capitão Contar (PRTB) enfrentará Eduardo Riedel (PSDB); na Paraíba, a corrida será entre João Azevedo (PSB) e Pedro Cunha Lima (PSDB); em Rondônia, Coronel Marcos Rocha (União Brasil) e Marcos Rogerio (PL); e em Sergipe, Rogério Carvalho (PT) disputará com Fábio (PSD). No Amazonas, Wilson Lima (União Brasil) buscará a reeleição contra Eduardo Braga (MDB).

Primeiro turno


Candidatos alinhados ao presidente Jair Bolsonaro mostraram força em colégios eleitorais importantes, como o Rio de Janeiro, com a reeleição de Cláudio Castro, com 58,5%, contra 27,43 de Marcelo Freixo (PSB); no Paraná, com Ratinho Jr. (PSD), reeleito com 69,7%; no Distrito Federal, com Ibaneis Rocha (MDB), reeleito com 50,30%; e em Minas Gerais, com Romeu Zema (Novo), garantido no cargo com 56,2%.

Outros que fecharam a fatura já no primeiro turno foram Gladson Cameli (PP), no Acre; Clécio (Solidariedade), no Amapá; Elmano de Freitas (PT), no Ceará; Ronaldo Caiado (União Brasil), reeleito em Goiás; Mauro Mendes (União Brasil), em Mato Grosso; Helder Barbalho, no Pará; Rafael Fonteles (PT), no Piauí; Fátima Bezerra (PT), no Rio Grande do Norte; Antônio Denarium (PP), em Roraima; e Wanderley Barbosa (Republicanos), em Tocantins.

Revista Consultor Jurídico

https://www.conjur.com.br/2022-out-02/eleicoes-segundo-turno-nove-estados-14-definiram